Tendências e futuro do recrutamento IT

Tendências e futuro do recrutamento IT

Abril 6, 2022

Este Website usa cookies

Estamos hoje, mais do que nunca, no auge da evolução tecnológica. E com esta evolução vem a crescente necessidade, por parte das empresas, de encontrar profissionais qualificados na área.

A pandemia não se mostrou entrave no recrutamento IT, sendo esta uma das ferramentas mais importantes na área tecnológica. Adaptámos, como muitas outras empresas, os nossos processos de recrutamento especializado e tentámos que os nossos IT recruiters se ajustassem a estas necessidades.

 

A procura já não é one-sided

Ao analisarmos de forma mais detalhada o mercado tecnológico, podemos ver que o mundo do recrutamento IT apresenta já necessidades que se sobrepõem à mão-de-obra existente.

Os últimos tempos mostraram como Portugal passou a estar na ribalta da tecnologia. A nossa qualidade profissional e soft skills proveitosas, que largamente nos definem, colocaram-nos mais à frente na “corrida”. Além destas características, estamos também próximos de uma forma cultural e geográfica, somos habilidosos no que toca aos idiomas estrangeiros e temos um grande know-how técnico.

Para o empregador, a demanda por talento é alta. Os it recruiters sabem quais são (algumas) das áreas mais desejadas e onde procurar: Data & Analytics Manager, DevOps Engineer, Cyber Security Manager, etc. Existe uma maior exigência de hard e soft skills (combinadas), competências de liderança, comunicação e orientação para a resolução de problemas. Para que existam trabalhadores com estas características interessados nas vagas disponíveis, é necessário que o empregador consiga estar à altura do que estes mais desejam. Mais importante ainda é saber como manter e reter o trabalhador, garantir que os benefícios são a longo prazo e não apenas um chamariz de entrada.

Para o trabalhador os factores são outros, e todos igualmente importantes. Horas flexíveis, boas compensações, benefícios de formação e de atividades, ferramentas de tecnologia com qualidade, trabalho desafiante e interessante e por último, e dos mais importantes nos tempos que correm, a possibilidade de trabalho remoto (em full-time).

Trabalho à distância

Portugal encontra-se em 1.º lugar entre os melhores países para se realizar trabalho remote. Tanto pelas nossas condições geoclimáticas como pelo estilo de vida de baixo custo.

No entanto, não servimos só de porto de abrigo para “remoters” vindos dos 4 cantos do mundo. Também abrimos as nossas portas a esta nova experiência. Muitas das empresas portuguesas, especialmente nas áreas da tecnologia, aceitaram de braços abertos esta nova prática.

Com a realidade pandémica latente, adaptámos o nosso método de trabalho ao híbrido e ao totalmente remote. Na maioria das empresas, cujas funções o permitam, este transformou-se no novo dia-a-dia.

O trabalho à distância (remote) permite uma variedade imensa de benefícios, na opinião de muitos empregadores e trabalhadores, como um conjunto diverso de talentos, aumento da produtividade e da retenção e diminuição da pegada de carbono. Se tivermos de nomear algumas das razões menos positivas que nos vêm à cabeça, seria importante de destacar a complicação do planeamento da força de trabalho, com foco na cultura de empresas ou remunerações.

Recrutamento IT à distância

Para acompanhar esta “trend” as empresas de recrutamento IT focaram-se também num método de contratação híbrido. Os candidatos iniciam o seu processo de recrutamento de forma virtual e podem terminá-lo (ou não) presencialmente, na empresa para que foram selecionados. Desta maneira, é possível para as empresas, poupar tempo e custos. Procurar novas formas de alcançar um equilíbrio entre o presencial e o virtual permite optimizar a experiência do candidato conjugando as vantagens do presencial e aproveitando a velocidade do virtual.

Para que estes processos sejam 100% eficazes, as empresas terão de se focar na sua transformação digital. Ao investirem na tecnologia poupam tempo valioso ao evitar tarefas repetitivas como, partilhar vagas de emprego, analisar CVs, enviar updates de aplicações, etc. Este recrutamento especializado digital requer uma optimização tecnológica dos funis de recrutamento.

Entrámos, finalmente, numa era em que podemos caminhar de “mão dada” com a tecnologia sem medos e automatizar as coisas que antes considerávamos 100% humanas.