Filipe Monterroso, o testemunho do sucesso Prime Nearshore

Filipe Monterroso, o testemunho do sucesso Prime Nearshore

Agosto 22, 2019

Este Website usa cookies

1. Enquanto Senior Business Manager do Prime Nearshore, explica-nos um pouco em que consiste esta solução da PrimeIT?

De uma forma muito simples, o Nearshore vem dar resposta a empresas que têm dificuldade em recrutar profissionais, por falta de mão-de-obra nacional qualificada. Então olham para diversos países, incluindo Portugal, onde existem profissionais com muita qualidade, que têm disponibilidade e vontade para abraçar novos desafios, e países esses onde é oferecida uma componente vantajosa a nível financeiro, que lhes permite fazer este investimento de uma forma segura, para atingir os seus objectivos.

Como esta situação, de dificuldade no recrutamento, pode comprometer o sucesso dos seus projectos, o Nearshore é a solução que permite às empresas escalar as suas equipas de forma rápida e eficiente porque garantimos a qualidade das contratações. Para dar um exemplo prático, um dos nossos parceiros demorou um ano a recrutar duas pessoas, com as qualificações necessárias, no seu país, enquanto que nós reunimos uma equipa de vinte e duas pessoas em dois meses.

 

2. Há quanto tempo a PrimeIT começou a apostar neste ramo?

A PrimeIT deu os seus primeiros passos em Nearshore há 4 anos, quando recebemos o pedido de uma empresa holandesa para a apoiarmos na criação do seu centro de competências em Lisboa, na área Digital e Web. Passado um ano tivemos um grande desafio com uma empresa do Reino Unido, para quem construímos uma equipa de 12 profissionais. Era um projecto de raiz, que envolvia diferentes tecnologias e que obrigou a uma reunião de avaliação tão detalhada, como nunca tínhamos sido alvo, para saber se éramos o parceiro ideal. Este foi o nosso ponto de partida no ramo porque, daí em diante, houve uma abertura diferente para estes mercados e permitiu-nos ter noção da dinâmica das relações, das metodologias e como podíamos fazer tudo isto resultar.

Contudo, anos antes, já tínhamos tido contacto com esta componente, de trabalhar à distância, quando um dos nossos parceiros, que tinha um centro de competências na Índia, nos pediu ajuda para construir as suas equipas aqui, em Lisboa.

 

3. Acreditas que esta aposta trouxe uma visibilidade diferente à empresa?

Acredito que nos trouxe mais visibilidade, apesar de a PrimeIT já ser conhecida internacionalmente pelos seus escritórios em Espanha, Franca e Suíça e Inglaterra. Estes projectos, e a nossa grande capacidade de reforço das equipas, como já referi, foram o ingrediente secreto para os nossos parceiros ganharem uma maior confiança em Portugal, que se foi traduzindo num carimbo de qualidade. A prova disto são as referências que começam a circular sobre os nossos serviços, com o típico “passa a palavra”. Todos os grandes projectos que temos neste momento, surgiram por contacto directo.

 

4. Quais são as maiores vantagens do Nearshore?

Para os nossos parceiros, a maior vantagem é, sem dúvida, a rapidez com que conseguem ter uma equipa formada com qualidade. Dependendo das tecnologias, somos capazes de reunir profissionais num curto espaço de tempo. Por norma, duas semanas a dois meses é o tempo que precisamos, para dar resposta às necessidades das empresas que trabalham connosco. Para além disto, o facto destas empresas trabalharem com outros países, permite-lhes ter uma visão diferente e viajar para estes escritórios, onde podem perfeitamente trabalhar também durante um dia, caso necessitem.

Para os nossos Primers as vantagens também são muitas! Primeiramente, a experiência internacional sem terem a necessidade de abandonar Portugal, anulando toda a logística de mudança de residência. Conseguem ter contacto com outras culturas, visitar outros países, que talvez nunca iriam visitar e ainda adquirem uma vasta experiência tecnológica porque estes projectos, por norma, são bastante inovadores e utilizam tecnologias de ponta.

Para a PrimeIT, é muito enriquecedor. Crescemos enquanto empresa, somos desafiados diariamente e construímos continuamente uma equipa altamente qualificada que leva além fronteiras esta nossa paixão pela tecnologia.

 

fmonterroso_primenearshore_site2

 

5. Nestes projectos, trabalhamos com Primers de quantas nacionalidades?

Bastantes! Assim de repente, posso dizer que, neste momento, temos projectos com Primers de seis nacionalidades diferentes. Para além do nosso talento nacional, temos profissionais de Itália, Brasil, Ucrânia, Espanha e Índia.

 

6. Acreditas que esta diversidade traz para a PrimeIT uma riqueza que se reflecte na nossa cultura organizacional?

Não tenho qualquer dúvida disso! Esta diversidade permite que o nosso dia-a-dia seja rico em diferentes experiências porque a partilha de conhecimento é uma constante. Trabalhar lado-a-lado com alguém de uma nacionalidade diferente da nossa é incrível, essa pessoa teve experiências diferentes e agrega um valor inquestionável à sua equipa e aos projectos. O facto de um profissional que já trabalhou noutro país, com tecnologias ou metodologias que até então o resto de uma equipa não tinha tido a oportunidade de trabalhar, permite-lhe muitas vezes encontrar soluções diferentes daquelas que eram praticadas para resolver um certo problema. E tudo isto se revela numa riqueza que permite à PrimeIT crescer de uma forma absolutamente fascinante.

 

7. O que torna a PrimeIT a escolha ideal para Nearshore em Portugal?

Posso referir que existem três aspectos que fazem toda a diferença para a PrimeIT ser a escolha ideal para Nearshore em Portugal. A qualidade da nossa equipa pode ser considerada o primeiro aspecto. Temos profissionais altamente qualificados, que têm em comum a paixão por esta área. Isto leva-nos ao segundo aspecto: a nossa capacidade de recrutamento. Como já referi, conseguimos rapidamente dar resposta às necessidades dos nossos parceiros e fazemo-lo de forma eficaz. Por fim, um dos aspectos que me foram transmitidos desde o início, tanto pelo Ricardo Carvalho, o nosso Founder, como pela Joana Leal e Gonçalo Mousinho, que são CEOs: a transparência e confiança, bases do nosso trabalho. Se existe um problema, nós não o escondemos. Sentamo-nos à mesa e falamos sobre ele, procuramos conjuntamente a melhor solução e percebemos o porquê desse problema ter surgido. Se está tudo bem, também falamos sobre isso porque fazemos um acompanhamento total e só assim é possível levar a bom porto um desafio. E no sentido inverso igual. Se quem trabalha connosco encontra um problema, falamos abertamente sobre o assunto.  Os nossos parceiros e colaboradores sabem que estamos comprometidos a fazer o que seja melhor para eles. O sucesso dos nossos parceiros, é o sucesso dos nossos Primers e, consequentemente, o crescimento da PrimeIT, portanto trabalhamos para que isto seja o desfecho de toda a nossa actuação.

 

8. Qual foi o teu projecto mais desafiante e porquê?

A verdade é que já passámos por muitas situações desafiantes em Nearshore e escolher uma em específico parece-me um pouco injusto porque em todas elas aprendi muito. Mas posso falar-te de um exemplo, que uso muitas vezes em reuniões de avaliação para futuros parceiros. Uma empresa austríaca dispensou um colaborador que fazia parte da sua equipa há dez anos, sendo responsável pela base de dados que comunicava com os seus clientes e da qual dependia todo o funcionamento do projecto. Então, fomos contactados para encontrar alguém que o substituísse. Por norma isto seria um processo básico, não fosse o facto de não estar previsto reforçamos a equipa, muito menos para aquela posição específica com um timing, como em bom português costumamos dizer “para ontem”. Para piorar a situação, a barreira linguística era grande, porque havia a necessidade de traduzir toda a documentação de alemão para inglês. A verdade é que em duas semanas encontrámos dois profissionais, que tinham todas as competências necessárias para o cargo, que se mudaram rapidamente para a Áustria e acompanharam os últimos três meses do colaborador que estava de saída para assegurar o sucesso do projecto. O desfecho, que felizmente foi muito bom, tornou-se a nossa bandeira verde porque construímos uma ligação de confiança total, da empresa para com a PrimeIT, uma vez que confiou cegamente nas nossas capacidades.

 

9. Queremos que os nossos escritórios sejam uma segunda casa para os nossos parceiros. De que forma tornamos esta mensagem real?

Os nossos escritórios são efectivamente a segunda casa dos nossos parceiros, acima de tudo pela ligação de confiança que estabelecemos com as empresas que trabalham connosco. Temos espaços únicos e dedicados a cada projecto, todos têm as condições de acesso necessárias para serem totalmente autónomos, como se estivessem nos seus próprios escritórios. Para além disto, não precisamos de saber quando os responsáveis viajam dos seus países para Portugal porque podem simplesmente aparecer e têm sempre a porta aberta para virem e passarem o dia connosco. É com esta abertura, sem demasiada burocracia, que se sentem realmente em casa.

 

10. Qual é o próximo passo da PrimeIT em Nearshore?

Os próximos passos passam sempre por trabalharmos para alcançarmos melhores resultados. De momento já trabalhamos com quase toda a Europa, por isso, o próximo passo será também certamente avançar para outros continentes, levando cada vez mais longe a nossa paixão por tecnologia e desafios. Se falarmos em Portugal, queremos com toda a certeza apostar mais no Porto, onde já temos projectos de Nearshore e onde começamos agora a crescer cada vez mais nesta região.

Mas por fim, e se me perguntares qual é o meu sonho para o Nearshore, digo-te com toda a certeza que era ter um edifício cheio de equipas a trabalhar em projectos de todo o mundo!